Carregando...

11 sintomas de gastrite e como confirmar o diagnóstico

Todo mundo já comeu algo que irritou o estômago alguma vez na vida, não é? Mas quando isso se torna frequente, é preciso atenção pois pode se tratar de gastrite. A gastrite é uma inflamação do revestimento do estômago que pode ser causada por diversos fatores que vão desde a infecção por H.pylori, um padrão alimentar inflamatório, até estresse. Dependendo da causa, os sintomas de gastrite se apresentam de maneiras diferentes em intensidades diferentes e, isso dificulta o diagnóstico correto e a escolha do tratamento mais adequado como consequência. Isso posto, veja a seguir quais são os principais sintomas de gastrite e como confirmar o diagnóstico.

Sintomas de gastrite

Trata-se de uma condição caracterizada pela inflamação do revestimento do estômago e, assim sendo, a gastrite pode causar os seguintes sintomas:

  • dor no estômago;
  • sensação de mal-estar;
  • indigestão;
  • inchaço abdominal;
  • náusea;
  • falta de apetite;
  • azia;
  • regurgitação;
  • vômito;
  • gases;
  • dor no peito.

Apesar desses serem os principais sintomas de gastrite, dependendo da causa da inflamação, os sintomas podem ser mais específicos. A gastrite é essencialmente classificada em 4 tipos: gastrite aguda, gastrite crônica, gastrite nervosa e gastrite autoimune. Veja os sintomas típicos de cada uma a seguir.

Sintomas de gastrite aguda 

A gastrite aguda pode ser causada pela bactéria Helicobacter pylori (H. pylori), pelo consumo excessivo de álcool ou uso de drogas. Quando a causa é a H. pylori, a maioria das pessoas acaba desenvolvendo a gastrite crônica posteriormente. Os sintomas mais comuns da gastrite aguda são:

  • indigestão;
  • perda de apetite;
  • fezes escurecidas;
  • náusea;
  • vômito;
  • dor na parte superior do abdômen;
  • sensação desconfortável de plenitude na parte superior do abdômen após comer.

Sintomas da gastrite crônica

Uma das causas para esse tipo de gastrite é a infecção pela bactéria H. pylori, mas a gastrite crônica também pode se desenvolver quando o revestimento do estômago entra em contato com substâncias irritantes por um longo período de tempo. Manter um padrão alimentar inflamatório pode causar gastrite crônica com o passar dos anos. Os principais sintomas de gastrite crônica incluem:

  • inchaço;
  • dor abdominal;
  • indigestão;
  • náusea;
  • vômito;
  • eructação (arroto) em excesso devido aos gases formados no estômago;
  • perda de apetite;
  • perda de peso.

Sintomas da gastrite nervosa

Esse tipo de gastrite é desencadeada por estresse emocional, como por exemplo um evento traumático recente, transtorno de ansiedade ou depressão. Geralmente, os sintomas de gastrite nervosa se tornam crônicos caso a origem do abalo emocional não seja tratada adequadamente. Os sintomas de gastrite nervosa podem ser:

  • vômito de coloração escura, como borra de café;
  • hematêmese (presença de sangue no vômito);
  • fezes escurecidas;
  • dor abdominal frequente;
  • náusea;
  • azia;
  • refluxo.

Sintomas da gastrite autoimune

A gastrite autoimune ocorre quando o sistema imunológico ataca as próprias células do revestimento do estômago, causando inflamação. Esse tipo de gastrite é também considerada crônica, pois se desenvolve gradualmente e pode ser mais difícil de controlar. A gastrite autoimune pode causar deficiência de vitamina B12, anemia e danos nos nervos como resultado, portanto os sintomas podem incluir:

  • dor no peito;
  • tonturas ;
  • fraqueza;
  • palpitações cardíacas;
  • náusea;
  • vômito;
  • formigamento nos membros.

Como saber se realmente tenho gastrite?

Todo mundo já teve um episódio de indigestão ou irritação estomacal e, na maioria dos casos, esse desconforto dura pouco e não requer medicações. Entretanto, quando os sintomas de desconforto estomacal persistem por uma semana ou mais, é preciso consultar um médico.

Dito isso, a observação da persistência dos sintomas é o primeiro passo para o diagnóstico de gastrite. Ao relatar os sintomas para o médico, expor um pouco sobre o histórico de saúde e hábitos alimentares, o médico já pode levantar a suspeita da patologia. Então para confirmar ou descartar o diagnóstico de gastrite, o médico pode requisitar um ou mais dos seguintes exames:

  • exames de fezes;
  • endoscopia;
  • exames de sangue;
  • raios X do trato digestivo superior;
  • teste respiratório da ureia;
  • biópsia do revestimento do estômago.

Os resultados desses testes podem não só confirmar o diagnóstico como também identificar a causa da gastrite.

Alimentos que ajudam a combater a gastrite

Independentemente da causa, fazer ajustes na dieta pode ajudar a aliviar os sintomas de gastrite ou até mesmo prevenir sua ocorrência.

Estudos indicam que as orientações dietéticas básicas para quem tem gastrite são:

  • evitar ou reduzir o consumo de álcool;
  • evitar pimenta;
  • evitar alimentos muito condimentados;
  • evitar frituras;
  • reduzir o consumo de cafeína;
  • evitar frutas cítricas;
  • reduzir o consumo de sal;
  • reduzir o consumo de carne vermelha;
  • comer refeições menores, mas com mais frequência;
  • mastigar devagar;
  • evitar mascar chiclete.

Além disso, existem alimentos que podem ajudar a aliviar os sintomas de gastrite e por isso podem ser incluídos na alimentação. Veja quais são a seguir.

Alimentos probióticos

Diversos estudos identificaram que cepas probióticas são eficazes na erradicação da bactéria H. pylori, que é a principal causa da maioria das gastrites crônicas. Portanto, o uso de probióticos no manejo da gastrite parece promissor. A administração de probióticos pode restaurar a microbiota do trato gastrointestinal e competir com as bactérias patogênicas resistentes, ajudando na recuperação do tecido do tubo digestivo. Os probióticos podem ser incluídos no dia a dia através de suplementos probióticos em cápsulas, iogurtes, kombuchá, kimchi ou kefir.

Alimentos com ação antiinflamatória e/ou antibacteriana

Uma maneira altamente eficaz de reduzir qualquer inflamação existente é aderir a uma dieta anti-inflamatória. De acordo com um estudo, a base de uma alimentação anti-inflamatória consiste na inclusão de gorduras com potencial antiinflamatório, níveis suficientes de fibras fermentáveis e polifenóis. Além disso, a inclusão de prebióticos na dieta é fundamental, pois eles servem como alimento para as bactérias benéficas do intestino, potencializando os efeitos dos probióticos e contribuindo para um equilíbrio saudável da microbiota intestinal. Nesse contexto, alguns alimentos e ingredientes se destacam:

Ômega-3
O consumo de ômega 3 pode ajudar muito quem sofre com gastrite. Um estudo indicou que a suplementação de ácidos graxos ômega-3 (EPA e DHA) pode ser necessária para diminuir a inflamação e reparar o tecido das paredes do tubo gastrointestinal danificado.

Cúrcuma
Um estudo encontrou que a cúrcuma pode ser um agente terapêutico valioso para tratar doenças gástricas como a gastrite. Suas propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes são tão potentes que uma revisão confirmou que o extrato de cúrcuma em cápsulas pode ser útil até mesmo em casos de úlcera gástrica.

Um outro estudo identificou que além do uso da curcumina como antiinflamatório, nos tempos antigos esse ingrediente também era usado para tratar doenças gastrointestinais, como indigestão, flatulência, diarréia e úlceras duodenais, destacando os benefícios da cúrcuma para a saúde. Portanto, incluir o extrato de cúrcuma na dieta pode ser muito importante para quem tem gastrite.

Alho
Um dos alimentos que ajudam na gastrite é o alho. Conforme um estudo, o alho cru possui efeitos antibacterianos contra o H. pylori e pode ser prescrito junto com medicamentos de rotina para o tratamento da infecção gástrica por essa bactéria. Sendo a H.pylori uma das principais causas da gastrite crônica, consumir alho diariamente pode ser crucial para prevenir que a gastrite se desenvolva.

Frutas vermelhas
As frutas vermelhas exibem ação bacteriostática contra a H. pylori, que é a principal causadora de gastrite. Esse efeito é explicado pelo alto teor de compostos fenólicos presentes nas frutas vermelhas que reduz a adesão de bactérias nas paredes de todo tubo digestivo. Nesse contexto, um estudo identificou que os extratos de framboesa, morango, amora e mirtilo demonstraram potente atividade bacteriostática contra cepas de H. pylori resistentes.

Independentemente do tipo ou dos sintomas de gastrite que se manifestam, seguir uma alimentação apropriada pode ajudar a manter a gastrite sob controle. Evitar alimentos irritantes e incluir alimentos com propriedades antiinflamatórias e antibacterianas é o caminho básico para isso.

Aproveite e veja também

Conteúdo escrito por Rafaela Galvão, publicitária pela ESPM-SUL e estudante do 7˚ semestre de nutrição na Unisul. Desenvolve projetos de comunicação e produção de conteúdo para a área da saúde desde 2016.

Você ganhou um super presente!

Olá, tudo bem? Seja bem-vindo(a) ao nosso oceano de superalimentos.

Você recebeu o convite de um amigo(a) para nutrir o seu corpo com os melhores ativos dos oceanos e da Terra.

Por isso, você ganhou R$50,00 de desconto no seu primeiro pedido.

Basta escolher os seus produtos e ver o seu desconto na etapa de pagamento. Qualquer dúvida fale com a nossa equipe através do chat.