Carregando...

Triglicerídeos altos: sintomas, causas e como tratar

Seja por preocupação com a saúde cardiovascular ou como parte de uma rotina preventiva, compreender os triglicerídeos e seu papel no corpo é essencial para manter um estilo de vida saudável. Esse tipo de gordura presente no sangue desempenha um papel crucial no fornecimento de energia ao organismo. 

No entanto, quando seus níveis ultrapassam os limites saudáveis, podem desencadear uma série de complicações. Mas quais são os sintomas dos triglicerídeos altos?

Neste artigo, exploraremos como identificar sintomas que indicam triglicerídeos altos, as diversas causas por trás desse aumento e as estratégias eficazes para tratá-los. Vamos aprofundar nosso conhecimento sobre esse tema e descobrir maneiras efetivas de manter o equilíbrio lipídico!

O que são triglicerídeos?

Os triglicerídeos são uma forma de gordura presente no sangue. Eles desempenham um papel crucial como uma fonte de energia, sendo a principal forma de armazenamento de gordura no organismo.

A estrutura básica dos triglicerídeos é composta por uma molécula de glicerol e três ácidos graxos. Essa combinação forma uma substância oleosa que circula no sangue e é armazenada em células adiposas (células de gordura) para ser utilizada posteriormente como fonte de energia. 

Mas, embora os triglicerídeos sejam uma fonte necessária de energia para o corpo, níveis elevados podem estar associados a diversos problemas, especialmente no sistema cardiovascular. Por isso, é importante monitorar esses níveis para prevenir complicações e adotar um estilo de vida saudável.

Causas do triglicerídeos alto

O que causa um nível de triglicerídeos alto pode variar, e muitas vezes múltiplos fatores estão envolvidos. Alguns dos principais fatores que contribuem para triglicerídeos altos são:

  • consumo excessivo de alimentos ricos em gorduras saturadas e trans, açúcares e carboidratos refinados;
  • excesso de peso e acúmulo de gordura abdominal;
  • sedentarismo;
  • consumo elevado de álcool;
  • predisposição genética;
  • condições diabetes, hipotireoidismo, doenças renais e hepáticas;
  • alguns medicamentos, como corticosteróides, diuréticos, estrogênio e certos medicamentos para HIV.

Além disso, os níveis de triglicerídeos tendem a aumentar com a idade. Eles ainda tendem a ser mais elevados em homens do que em mulheres.

Sintomas

Os níveis elevados de triglicerídeos geralmente não apresentam sintomas específicos. Muitas pessoas podem ter triglicerídeos elevados por anos sem perceber, pois a condição muitas vezes é assintomática. Ela geralmente só aparece em exames de sangue—o que torna os check-ups regulares tão importantes. 

Os sintomas de triglicerídeos alto costumam se manifestar apenas quando os níveis atingem valores extremos, ou quando ocorrem complicações relacionadas. Alguns sinais que podem estar associados à condição incluem:

  • dor ou desconforto no abdômen;
  • risco aumentado de pancreatite aguda, caracterizada por dor abdominal intensa, náuseas, vômitos e febre;
  • pequenos nódulos amarelados chamados xantomas, principalmente ao redor das articulações e em áreas de pressão;
  • inflamação e dor nas articulações;
  • em casos raros, pancitopenia, uma condição caracterizada pela redução de todas as células sanguíneas.

Aproveite e veja também

Quando os triglicerídeos altos são preocupantes?

Níveis elevados de triglicerídeos são considerados preocupantes quando atingem valores que aumentam significativamente o risco de complicações para a saúde, especialmente em relação ao sistema cardiovascular. 

Os limites considerados normais podem variar um pouco entre diferentes instituições médicas e laboratórios. Mas, em geral, são classificados da seguinte forma:

  • normal: menos de 150 miligramas por decilitro (mg/dL);
  • limítrofe elevado: 150-199 mg/dL;
  • alto: 200-499 mg/dL;
  • muito alto: 500 mg/dL ou mais.

É importante considerar outros fatores de risco cardiovascular, como colesterol e triglicerídeos altos. Em conjunto, eles podem aumentar o risco de desenvolver problemas como aterosclerose (acúmulo de placas nas artérias) e doença coronariana.

Melhora da microbiota intestinal

Como prevenir?

A prevenção dos triglicerídeos altos envolve a adoção de um estilo de vida saudável. Algumas das medidas mais indicadas são:

  • controle de peso: pesquisas indicam que o controle de peso é uma das maneiras mais efetivas de combater o aumento nos triglicerídeos. Uma dieta rica em frutas, vegetais, grãos integrais, peixes e fontes magras de proteína e pelo menos 150 minutos de atividade aeróbica moderada por semana são indicados;
  • limitação do álcool e cigarros: estudos apontam que a redução no consumo de bebidas alcoólicas e cessação do tabagismo podem ajudar a prevenir os triglicerídeos altos e seus sintomas;
  • controle do estresse: saber como controlar o estresse é de grande importância, pois, ele também aumenta o nível de triglicerídeos no sangue, segundo pesquisas. Técnicas como meditação, ioga e atividades relaxantes podem auxiliar;
  • inclusão de ácidos graxos ômega-3 na dieta: estudos mostram que peixes ricos em ácidos graxos ômega-3, como salmão, atum e sardinha, podem ajudar a reduzir os triglicerídeos. A suplementação de ômega 3 também pode ser indicada;
  • monitoramento regular: realizar exames de sangue regulares para monitorar os níveis de triglicerídeos e outros lipídios.

Lembrando que é fundamental consultar um profissional de saúde antes de realizar mudanças significativas na dieta, iniciar um novo programa de exercícios ou tomar suplementos. As necessidades de prevenção e tratamento podem variar de pessoa para pessoa, e a orientação de um profissional é crucial para desenvolver estratégias personalizadas.

Tratamento

Afinal, o que é bom para triglicerídeos altos? O tratamento para níveis elevados de triglicerídeos geralmente envolve uma abordagem combinada. Suas principais estratégias incluem:

  • adoção de um estilo de vida saudável, com uma dieta para triglicerídeos altos que deve incluir frutas, vegetais, grãos integrais, peixes e proteínas magras;
  • manter uma rotina regular de exercícios, incluindo atividades aeróbicas e de resistência;
  • controlar o peso;
  • reduzir ou eliminar o consumo de álcool e parar de fumar;
  • em alguns casos, o médico pode prescrever algum remédio para triglicerídeos altos, incluindo estatinas, fibratos e suplementos de ômega-3;
  • tratar condições médicas subjacentes, como diabetes ou hipotireoidismo;
  • realizar exames de sangue regulares.

Em nosso percurso pelo entendimento dos triglicerídeos altos e seus sintomas, desvendamos causas e estratégias de prevenir e como baixar triglicerídeos altos. Ao adotar uma abordagem holística, incorporando escolhas conscientes, é possível construir um alicerce sólido para a saúde a longo prazo!

Referências

Texto escrito por Thais Montin:
Jornalista formada pela Unisinos e estudante de psicologia na Rogue College. Trabalha com comunicação digital desde 2013, escrevendo sobre saúde, bem-estar, moda e muito mais.

 

Revisado por Rafaela Galvão:
Nutricionista graduada pela Unisul (CRN-10: 11807) e publicitária graduada pela ESPM-SUL. Desenvolve projetos de comunicação e produção de conteúdo para a área da saúde desde 2016.

Você ganhou um super presente!

Olá, tudo bem? Seja bem-vindo(a) ao nosso oceano de superalimentos.

Você recebeu o convite de um amigo(a) para nutrir o seu corpo com os melhores ativos dos oceanos e da Terra.

Por isso, você ganhou R$50,00 de desconto no seu primeiro pedido.

Basta escolher os seus produtos e ver o seu desconto na etapa de pagamento. Qualquer dúvida fale com a nossa equipe através do chat.