Carregando...

12 melhores remédios caseiros para tratar a candidíase

A candidíase é uma infecção comum, mas que pode causar desconforto significativo e afetar diversos aspectos da vida de quem a enfrenta. Coceira, vermelhidão, dor e corrimento são apenas alguns dos sintomas que acompanham essa condição, muitas vezes desencadeada pelo fungo Candida albicans. Seja em episódios esporádicos ou recorrentes, a candidíase não apenas impacta a saúde física, mas também pode causar perturbações emocionais, interferindo na vida profissional, social e conjugal dos indivíduos afetados.

Para aliviar os sintomas e auxiliar no tratamento da candidíase, muitas pessoas recorrem a remédios caseiros. Esses métodos oferecem uma abordagem alternativa e complementar aos tratamentos convencionais, buscando aliviar o desconforto e promover o equilíbrio do organismo de forma natural. Se você está lidando com essa condição, conhecer alguns remédios caseiros para candidíase pode ser uma maneira de enfrentar o problema de forma mais holística e confortável.

12 remédios caseiros para combater a candidíase

Nas últimas décadas, tem sido observado um crescimento exponencial dos casos de candidíase nos tratos urinário, genital e gastrointestinal. Por isso, separamos aqui alguns remédios caseiros para a candidíase, a fim de contribuir para o tratamento e prevenção dessa infecção:

1. Óleo essencial de orégano

Devido à suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, o óleo de orégano é tido como um remédio caseiro para candidíase muito potente. Um estudo realizado com três tipos de emulsão de óleo de orégano demonstrou o efeito inibidor contra a proliferação da cândida, relatando que essa pode ser uma boa alternativa contra a infecção. A indicação é aplicar 1 a 2 gotas do óleo sob a região afetada.

2. Óleo essencial de melaleuca (Tea Tree)

Outro óleo essencial bastante utilizado como remédio caseiro para candidíase é o Tea Tree, também chamado de melaleuca. Ele é produzido a partir de uma planta que apresenta propriedades antifúngicas e antibacterianas, auxiliando no combate ao crescimento da cândida.

Um estudo comparou o uso de óleos essenciais, como a melaleuca e orégano, com a ação dos principais medicamentos utilizados no tratamento da candidíase e observou ótimos resultados. Os óleos inibiram tanto o crescimento quanto a atividade da C. albicans de forma mais eficiente do que os medicamentos estudados.

Outro estudo foi além e combinou o óleo essencial de melaleuca com o óleo essencial de cravo, formando um gel eficaz que pode ser utilizado para candidíase recorrente e outras infecções.

3. Banho de assento com chá de camomila

O banho de assento pode ser um ótimo remédio caseiro para a candidíase vaginal, pois, além de menos custoso, traz alívio imediato dos sintomas e pode ser feito a qualquer momento.

Dentre os banhos de assento sugeridos para auxiliar no tratamento da candidíase, o uso da camomila ganha destaque devido aos seus compostos antimicrobianos e antifúngicos, além do seu efeito anti-inflamatório, que traz alívio da dor.

Um estudo recente comparou o uso do chá de camomila com o medicamento clotrimazol, bastante utilizado entre os fármacos para a candidíase. Nele, 73 mulheres foram divididas em dois grupos, um fez o uso de clotrimazol e o outro fez uso da camomila. No fim do tratamento, a camomila se mostrou tão eficaz quanto o clotrimazol.

4. Banho de assento com bicarbonato de sódio

Outro banho de assento bastante conhecido é com bicarbonato de sódio. Por ser uma substância alcalina, o bicarbonato de sódio neutraliza a acidez vaginal, contribuindo para diminuir a proliferação da cândida, funcionando assim, como um remédio caseiro para candidiase feminina. Além de contribuir para o tratamento, o banho de assento com bicarbonato de sódio traz alívio imediato da sensação de ardência e dor local.

A eficiência do bicarbonato de sódio no tratamento da candidíase foi contemplada em um estudo realizado em 2021, cujos resultados foram eficazes na inibição do crescimento da C. albicans. Os mesmos achados foram apontados em outro estudo realizado em 2019.

5. Suplemento de cranberry

Além da candidíase vaginal, outros locais de bastante acometimento da cândida são o trato urinário e oral. Nesses casos, um bom remédio caseiro para candidíase é o suplemento de cranberry.  As infecções no trato urinário (ITUs) e oral, causadas pela cândida, são, geralmente, tratadas com antibióticos, o que pode trazer efeitos negativos ao longo prazo, como prejuízos à microbiota e maior resistência bacteriana, podendo levar a um ciclo de candidíase de repetição.

Então, a suplementação de cranberry surge como uma alternativa eficaz e segura a ser incorporada no tratamento de candidíase.

Um estudo mostrou que o extrato de cranberry induziu a atividade anti adesão da candida oral devido sua resposta antifúngica e anti-biofilme. Enquanto outro estudo demonstrou sua eficiência no combate à candidíase no trato urinário.

6. Consumo de probióticos e prebióticos

A inclusão de alimentos probióticos - como kefir e kombucha - assim como alimentos prebióticos - vegetais, fibras e cereais integrais - têm demonstrado bons resultados contra a proliferação da candidíase.

Enquanto os probióticos são formados por cepas de bactérias benéficas para o organismo, os prebióticos funcionam como o “alimento” dessas cepas, auxiliando no seu crescimento. Ambos são utilizados para melhorar a saúde do trato gastrointestinal e, dessa forma, combater o crescimento de microrganismos que podem causar infecções, como a candidíase, assim como afirma o estudo.

7. Evitar doces e carboidratos refinados

A relação entre o consumo de doces e carboidratos refinados e o desenvolvimento da candidíase é bem estabelecida. Esses alimentos fornecem um ambiente propício para o crescimento do fungo Candida albicans, pois são ricos em açúcares simples, que alimentam a proliferação do fungo. Quando consumidos em excesso, os doces e carboidratos refinados elevam os níveis de glicose no sangue, criando um ambiente favorável para a candidíase se desenvolver. Portanto, evitar esses alimentos é essencial para reduzir o risco de infecção por cândida e manter o equilíbrio da microbiota intestinal.

8. Evitar excesso de gordura animal

O consumo excessivo de gordura animal, especialmente de fontes não saudáveis, pode comprometer a saúde do sistema imunológico e favorecer o crescimento de fungos, incluindo a Candida albicans. Sim - uma dieta rica em gordura saturada e gordura trans pode aumentar a inflamação no corpo e enfraquecer as defesas naturais contra infecções fúngicas. Por isso, reduzir o consumo de gordura animal pode ajudar a manter um ambiente interno menos propício para o crescimento da cândida, contribuindo para a prevenção da candidíase.

9. Aumentar o consumo de alimentos antifúngicos

Alimentos com propriedades antifúngicas, como alho, cebola, óleo de coco, tomilho e alecrim, podem ser aliados importantes na prevenção da candidíase. Esses alimentos contêm compostos naturais que ajudam a inibir o crescimento de fungos, incluindo a Candida albicans. O alho, por exemplo, é conhecido por suas propriedades antimicrobianas e antifúngicas, enquanto o óleo de coco contém ácido láurico, que demonstrou ter atividade antifúngica significativa. Ao aumentar o consumo desses alimentos na dieta diária, é possível fortalecer as defesas do organismo contra infecções fúngicas e manter o equilíbrio da microbiota intestinal.

10. Evitar bebidas como vinhos, cervejas e kombucha

Bebidas alcoólicas fermentadas, como vinhos, cervejas e kombucha, podem promover o crescimento excessivo de fungos, incluindo a Candida albicans. O álcool presente nessas bebidas pode prejudicar o equilíbrio da microbiota intestinal e comprometer o sistema imunológico, tornando o corpo mais suscetível a infecções fúngicas. Além disso, o processo de fermentação utilizado na produção dessas bebidas pode aumentar a quantidade de leveduras presentes, criando um ambiente propício para a proliferação da cândida. Essa relação faz com que evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas fermentadas seja importante para reduzir o risco de desenvolvimento da candidíase.

11. Evitar queijos mofados e maturados

Queijos mofados e maturados podem conter esporos de fungos que podem desencadear ou agravar infecções fúngicas, como a candidíase. O processo de maturação do queijo cria condições favoráveis para o crescimento de fungos, incluindo a Candida albicans, tornando esses alimentos potenciais desencadeadores de sintomas em pessoas propensas à infecção. Além disso, queijos mofados podem conter micotoxinas, substâncias tóxicas produzidas por fungos, que podem ser prejudiciais à saúde quando consumidas em excesso. Devido a isso, evitar o consumo de queijos mofados e maturados é uma medida preventiva importante para reduzir o risco de candidíase e manter a saúde intestinal.

12. Aumentar o consumo de legumes ricos em amido

Legumes ricos em amido, como batata, mandioca, mandioquinha e inhame, são fontes importantes de fibras e amido resistente, que ajudam a alimentar as bactérias benéficas e promover um ambiente intestinal saudável. O consumo regular desses alimentos pode ajudar a equilibrar a microbiota intestinal e fortalecer as defesas naturais do organismo contra infecções fúngicas, incluindo a candidíase. Além disso, legumes ricos em amido são fontes de nutrientes essenciais, como vitaminas e minerais, que são importantes para manter a saúde do sistema imunológico e promover o bem-estar geral. Portanto, incluir legumes ricos em amido na dieta regular pode ser uma estratégia eficaz na prevenção da candidíase e na promoção da saúde intestinal.

Lembramos que o uso de remédio caseiro para candidíase não substitui o tratamento médico. Indicamos que você procure seu profissional da saúde antes de iniciar quaisquer tipos de abordagem terapêutica.

Como evitar a candidíase de repetição

A candidíase de repetição, caracterizada por recorrências frequentes da infecção por Candida albicans, pode estar associada à síndrome fúngica, uma condição que requer uma abordagem abrangente para o tratamento e prevenção. Além das medidas convencionais, como o cuidado com a higiene íntima e a redução do uso de antibióticos, a dieta certa para o tratamento de candidíase desempenha um papel crucial na manutenção do equilíbrio da flora vaginal e na prevenção da proliferação excessiva de fungos.

Alimentos a evitar:

  • queijos mofados/maturados;
  • vinagres;
  • bebidas alcoólicas fermentadas como vinhos, cervejas e kombucha;
  • cogumelos;
  • levedura nutricional;
  • pães e massas feitas com fermento biológico ou levain;
  • alimentos industrializados e embutidos;;
  • glúten;
  • carne vermelha, laticínios e gordura animal;
  • açúcar refinado e doces;
  • óleos vegetais e frituras.

Substituições recomendadas:

  • legumes ricos em amido em quantidades moderadas: batata, mandioca, mandioquinha e inhame;
  • alimentos orgânicos, evitando frutas e vegetais muito maduros;
  • frutas com baixo teor de açúcares;
  • gorduras saudáveis como azeite de oliva, óleo de abacate e amêndoas;
  • alimentos ricos em glutationa como abacate, espinafre, quiabo e aspargos;
  • antifúngicos naturais e ervas como alho, cebola, óleo de coco, tomilho e alecrim.

Além disso, inclua na dieta:

  • óleo de coco em doses terapêuticas;
  • orégano e óleo essencial de orégano;
  • cravo, cúrcuma, sálvia, gengibre e canela.

Adotar hábitos de vida saudáveis, como ter boas noites de sono, praticar atividades físicas para controlar o estresse e melhorar a imunidade, também é fundamental. 

Precauções e quando procurar um médico

O uso de remédios caseiros para tratar a candidíase pode ser uma opção segura e eficaz para muitas pessoas, apresentando baixa incidência de efeitos colaterais e oferecendo uma abordagem mais acessível e natural para o tratamento. No entanto, é importante estar ciente das precauções a serem tomadas ao utilizar esses remédios e reconhecer quando é necessário buscar orientação médica.

Precauções ao usar remédios caseiros para candidíase

Embora os remédios caseiros para candidíase geralmente sejam seguros, é importante estar atento a possíveis efeitos colaterais indesejados. Se você experimentar qualquer reação adversa durante o tratamento, como irritação, coceira intensa ou aumento dos sintomas, é fundamental interromper o uso imediatamente e procurar orientação profissional. Além disso, é importante reconhecer que, em alguns casos, o tratamento exclusivo com remédios caseiros pode não ser suficiente para eliminar a infecção. Nessas situações, o uso de medicamentos farmacológicos pode ser necessário e deve ser feito sob orientação médica.

Quando procurar um médico?

Se os sintomas da candidíase persistirem ou piorarem após o uso de remédios caseiros, ou se você tiver uma infecção recorrente, é essencial procurar aconselhamento médico. Um profissional de saúde poderá avaliar sua condição de forma abrangente, prescrever o tratamento mais adequado e descartar outras condições que possam estar contribuindo para os sintomas. Além disso, se você tiver condições médicas subjacentes ou estiver grávida, é especialmente importante consultar um médico antes de iniciar qualquer tratamento para candidíase.

Referências

Artigo escrito por Joana Mazzochi, formada em Administração Empresarial pela UDESC e em Nutrição pela UNIVALI (CRN-10/10934). Além de produzir conteúdo sobre nutrição e saúde, atende pacientes que desejam melhorar a relação com a alimentação.

Conteúdo revisado por Rafaela Galvão, nutricionista graduada pela Unisul e publicitária graduada pela ESPM-SUL. Desenvolve projetos de comunicação e produção de conteúdo para a área da saúde desde 2016.

Aproveite e veja também

Você ganhou um super presente!

Olá, tudo bem? Seja bem-vindo(a) ao nosso oceano de superalimentos.

Você recebeu o convite de um amigo(a) para nutrir o seu corpo com os melhores ativos dos oceanos e da Terra.

Por isso, você ganhou R$50,00 de desconto no seu primeiro pedido.

Basta escolher os seus produtos e ver o seu desconto na etapa de pagamento. Qualquer dúvida fale com a nossa equipe através do chat.