Carregando...

Autocuidados para Alzheimer: benefícios, dicas e recomendações

O Alzheimer é uma condição desafiadora que afeta não só a pessoa diagnosticada, mas também aqueles que a cercam. Nesse contexto complexo, os autocuidados para Alzheimer desempenham um papel crucial. Eles oferecem benefícios tangíveis não apenas para a saúde física e mental do indivíduo, mas também para o bem-estar geral da família e de seus cuidadores. 

Neste artigo, saiba quais são os autocuidados para Alzheimer e recomendações práticas para auxiliar nessa jornada desafiadora.

A importância do autocuidado para Alzheimer

Os autocuidados para doença de Alzheimer desempenham um papel crucial. Para os portadores da doença, o autocuidado pode ajudar a preservar a autonomia e a qualidade de vida. Os cuidados corretos permitem que uma pessoa com Alzheimer permaneça ativa, engajada e independente na medida do possível. 

Já para os cuidadores, o autocuidado é essencial para evitar o esgotamento físico e emocional. Afinal, quem cuida do cuidador? Eles também precisam de amparo. Cuidar de alguém com Alzheimer pode ser desafiador e estressante, e reservar tempo para si ajuda a reduzir o estresse, evita o burnout e possibilita que os cuidadores ofereçam um suporte mais eficaz e afetuoso aos pacientes.

Dicas de autocuidados para Alzheimer

Aqui estão algumas sugestões, que podem ser usadas como dicas para cuidar de idoso com Alzheimer ou como autocuidado para o próprio paciente:

  • exercícios cognitivos: estimular a mente por meio de quebra-cabeças, jogos, leitura e aprendizado de novas habilidades pode ajudar a preservar as funções cognitivas por mais tempo;
  • alimentação saudável: uma dieta rica em antioxidantes, ácidos graxos ômega-3 e nutrientes pode ser benéfica;
  • exercícios físicos: a prática regular de exercícios físicos pode melhorar o humor, a qualidade do sono e até mesmo a função cerebral;
  • manter uma rotina: estabelecer e manter rotinas diárias pode proporcionar uma sensação de estabilidade e previsibilidade, o que é reconfortante para quem lida com o Alzheimer.

Qual a melhor alimentação para quem tem Alzheimer?

Embora não exista uma dieta específica comprovada para prevenir ou curar a doença, estudos apontam que alguns princípios alimentares podem ser benéficos para retardar sua progressão:

  • ômega-3: ácidos graxos ômega 3, encontrados em peixes como salmão, sardinha e atum, têm sido associados a benefícios para a saúde cerebral;
  • antioxidantes: frutas e vegetais coloridos, como mirtilos, morangos, uvas, brócolis, espinafre, podem ajudar a combater danos celulares por sua ação antioxidante;
  • gorduras saudáveis: encontradas em abacates, nozes, sementes de chia e azeite de oliva, elas podem ajudar a manter o cérebro saudável;
  • dieta mediterrânea: rica em vegetais, frutas, grãos integrais, peixes, azeite de oliva e quantidades moderadas de vinho tinto, essa dieta pode ser benéfica para a saúde cerebral;
  • limitar gorduras saturadas e açúcares: reduzir o consumo de gorduras saturadas (presentes em alimentos fritos e processados) e de açúcares adicionados pode ajudar a manter a saúde geral.

É importante lembrar que uma dieta balanceada e saudável é benéfica para o corpo e pode oferecer suporte à saúde cerebral, mas não há garantias de prevenção ou cura do Alzheimer por meio da alimentação. Recomenda-se sempre consultar um profissional de saúde, como um nutricionista, para orientações personalizadas.

Aproveite e veja também

Suplementos e Alzheimer

Os suplementos podem desempenhar um papel complementar no autocuidado para Alzheimer. Um bom exemplo disso é o ômega-3. Extensamente estudado para a saúde cerebral, revisões indicam que esses ácidos graxos têm sido associados a benefícios para pessoas — principalmente nos estégios iniciais do Alzheimer e de outras doenças neurodegenerativas. 

Mas lembre-se: suplementos devem ser vistos como um complemento, não como substitutos para uma dieta saudável e práticas de cuidados para Alzheimer. Consultar um profissional de saúde qualificado é vital. Apenas eles podem fornecer orientações personalizadas com base na situação médica específica, minimizando riscos e maximizando possíveis benefícios.

Melhora da microbiota intestinal

Suporte externo

O suporte externo desempenha um papel vital no cuidado do Alzheimer. Alguns deles incluem:

  • grupos de apoio;
  • associações de pacientes;
  • profissionais de saúde especializados;
  • amigos e familiares.

Esses recursos ajudam a reduzir o isolamento, oferecem alívio do estresse, validação emocional e acesso a informações valiosas. Ao proporcionar momentos de descanso para os cuidadores, além de direcionar para serviços e recursos úteis, o suporte externo torna a jornada do Alzheimer menos solitária e mais administrável, tanto para pacientes quanto para cuidadores.

Esperamos que esse artigo ajude você a entender a importância do autocuidado para Alzheimer. Desde a prática de exercícios cognitivos e a alimentação equilibrada até o valioso suporte externo, cada ato representa um passo em direção a uma qualidade de vida mais significativa!

Artigo escrito por Thais Montin, jornalista formada pela Unisinos e estudante de psicologia na Rogue College. Trabalha com comunicação digital desde 2013, escrevendo sobre saúde, bem-estar, moda e muito mais.

Conteúdo revisado por Rafaela Galvão, nutricionista graduada pela Unisul e publicitária graduada pela ESPM-SUL. Desenvolve projetos de comunicação e produção de conteúdo para a área da saúde desde 2016.

Você ganhou um super presente!

Olá, tudo bem? Seja bem-vindo(a) ao nosso oceano de superalimentos.

Você recebeu o convite de um amigo(a) para nutrir o seu corpo com os melhores ativos dos oceanos e da Terra.

Por isso, você ganhou R$50,00 de desconto no seu primeiro pedido.

Basta escolher os seus produtos e ver o seu desconto na etapa de pagamento. Qualquer dúvida fale com a nossa equipe através do chat.