Carregando...
20%
OFF

EVITACNE

R$139,00 R$111,20
120 Cápsula de 550mg
Produto
para 2 meses
QUANTIDADE
- +
Menos de R$1,85/dia.
COMPRE COM SEGURANÇA

EVITACNE

R$139,00 R$111,20
Menos de R$1,85/dia.
Modo de uso Consumir 2 ao dia

PRESERVE E PROMOVA A SAÚDE DA SUA PELE

Você sabia que a sua pele é reflexo do que você consome? Por isso, nossa formulação contém os melhores ingredientes para ajudar a manter a sua derme sempre saudável e bela. Vitaminas A, B6, C e E, além de cobre, selênio, zinco, resveratrol e levedura de cerveja fazem parte do Smart Blend da Ocean Drop exclusivo para pele.

A BELEZA DA PELE COMEÇA DE DENTRO PARA FORA

O consumo excessivo de álcool, assim como de alimentos industrializados e ricos em açúcar aumentam a chance do surgimento de acne. Por outro lado, certas vitaminas, minerais e compostos bioativos têm a capacidade de atuar na beleza e saúde da pele.
Porção de 2 cápsulas(1,10 g)
Quantidade por porção % VD
Vitamina A 500 mcg 62%
Vitamina C 150 mg 150%
Vitamina B6 50 mg 3846%
Vitamina B5 5 mg 100%
Vitamina E 100 mg 667%
Cobre 3900 mcg 433%
Selênio 150 mcg 250%
Zinco 12 mg 109%
Resveratrol 50 mg **
Levedura inativa seca 200 mg **

SOU PRÁTICO

Ingerir de 1 a 2 cápsulas ao dia ou conforme orientação de profissional habilitado. Sendo consumidas antes da sua principal refeição.

Restrições alimentares

SEM INTERAÇÃO COM MEDICAMENTOS

Nossos produtos são alimentos de qualidade nutricional avançada e não possuem nenhuma relação/interação com fármacos ou formulações com princípio ativo.

GESTANTES, LACTANTES E CRIANÇAS

Orienta-se que gestantes ou mamães queamamentam procurem o acompanhamento de um profissional da saúde. O mesmo é válido para crianças com idade inferior a 12 anos.

Estudos
Científicos







Entenda como oferecemos o melhor para você

.01

Um estudo que teve como objetivo avaliar os certos nutrientes no organismo de pacientes com acne, observou uma correlação negativa entre a gravidade da acne e níveis de vitamina E e zinco. Por isso, sugeriu que medidas dietéticas de suporte com vitamina A e E, além de zinco, podem ser uma opção para o tratamento da acne. Inclusive, destacou que o tratamento de suporte com essas vitaminas e zinco na acne grave pode levar a resultados satisfatórios.

.02

Uma organização sem fins lucrativos da área de serviços médicos e de pesquisas médico-hospitalares, relatou que uma cepa específica da levedura de cerveja parece ajudar a diminuir a acne quando tomada por via oral.

.03

O zinco é um mineral que ajuda a combater a inflamação e a estimular a cicatrização na pele, o que pode contribuir com a melhora da acne, segundo Brent Bauer, consultor do Departamento de Medicina Interna e diretor do Programa de Medicina Complementar e Integrativa do Departamento de Medicina Interna da Mayo Clinic.

Estudos
científicos

Referências

01

Evaluation of serum vitamins A and E and zinc levels according to the severity of acne vulgaris

veja mais
02

Are there any effective natural acne treatment options?

veja mais
03

Are there any effective natural acne treatment options?

veja mais
Vitamina E e ômega 3

Vitamina E e ômega 3

É bastante propício e benéfico para um melhor aproveitamento dos benefícios do ômega 3, combinar o consumo com suplementos de vitamina E, uma verdadeira aliada dos ácidos graxos. Isso acontece porque as gorduras oxidam com muita facilidade dentro do organismo, fazendo com que suas propriedades possam ser perdidas rapidamente. A vitamina E, por sua vez, por ser lipossolúvel e um potente antioxidante, ajuda a garantir maior biodisponibilidade aos ácidos graxos, potencializando os efeitos benéficos dos nutrientes para a saúde.

Fontes de ômega 3 EPA e DHA

Os alimentos mais conhecidos por conter EPA e DHA são os peixes, como salmão, sardinha e atum. Eles alimentam-se das fontes primárias de ômega 3 e, por isso, passam a apresentar também em seus tecidos. O que muita gente não sabe é que é possível consumir diretamente as fontes primárias através do extrato da microalga, Schizochytrium sp, com o Ômega 3 de Algas EPA + DHA da Ocean Drop.

Fontes de ômega 3 EPA e DHA
Quanto consumir de ômega 3 EPA e DHA

Quanto consumir de ômega 3 EPA e DHA

Vale ressaltar que não há uma recomendação exata de quanto devemos ingerir de EPA e DHA. Porém, o National Institutes of Health recomenda o consumo de 1,6 g de ômega 3 para homens e de 1,1 g para mulheres, acima de 19 anos. No entanto, é importante ressaltar que esses valores podem variar. O indicado é consultar com um profissional de saúde especializado para realizar a análise das necessidades individuais.

Cuidados para um consumo saudável

Por ser proveniente de algas, o ômega 3 EPA e DHA da Ocean Drop é contraindicado para pessoas alérgicas a esses seres. Nesse caso, pode-se optar por outras fontes, como as sementes e as leguminosas. As fontes vegetais possuem apenas ALA, que é convertido em EPA e DHA, após ser absorvido no organismo. Estima-se que a taxa de conversão de ALA para EPA no fígado seja cerca de 21% nas mulheres e entre 0,3% e 8% nos homens. Quanto ao DHA, a conversão fica entre 1% e 9%. Nesse sentido, é importante levar em conta a conversão, pois para obter-se os benefícios dos ácidos graxos essenciais, o consumo de sementes e leguminosas deve ser realizado em quantidades maiores e adequadas. O ômega 3 não é indicado para pessoas com problemas de coagulação, pois, como pode deixar o sangue mais fluído, há risco de causar hemorragia em casos extremos. Para gestantes, o principal cuidado deve ser quanto à dosagem. Por isso, esse grupo só deve consumir uma quantidade recomendada pelo médico ou nutricionista. Quanto às fontes animais de ômega 3, como os óleos de peixes, outros cuidados que devem ser tomados são em relação à quantidade de mercúrio presente. O mercúrio é um metal pesado encontrado em meio aos nutrientes - e pode trazer sérios problemas para a saúde, causando intoxicação e danos para o cérebro, rins, entre outros órgãos. Os principais sintomas relacionados a esse problema são dores de cabeça, fraqueza, insônia e atrofia muscular. Vale ressaltar que até mesmo plantas e animais de pequeno porte podem estar contaminados por mercúrio. A forma mais segura de ingerir, portanto, é optar por alimentos ou suplementos isentos de contaminantes e que contenham as quantidades recomendadas.

Cuidados para um consumo saudável
Como escolher o melhor suplemento de ômega 3?

Como escolher o melhor suplemento de ômega 3?

Ao escolher um suplemento de ômega 3 EPA e DHA é importante observar alguns pontos:

  • confira o rótulo do produto e compre somente aqueles que contenham as quantidades de EPA e DHA determinadas e descritas - e não apenas a quantidade total de ômega 3;
  • caso o seu objetivo seja melhorar a função cerebral, procure um suplemento com maior quantidade de DHA;
  • se você deseja benefícios anti-inflamatórios, a melhor opção é o suplemento com maior quantidade de EPA;
  • pesquise e informe-se sobre a empresa, pois é importante que ela tenha cuidado com o grau de contaminação por metais pesados.

Experimente o Ômega 3 de Algas EPA e DHA - 100 % vegetal

As microalgas destacam-se, pois fornecem grandes quantidades de ômega 3 na forma ativa de EPA e DHA. Inclusive, os peixes são ricos em ômega 3, pois consomem esses vegetais. Além de ser uma fonte vegana de qualidade, diferentemente dos óleos de peixes, o ômega 3 de microalgas é produzido de forma sustentável. Sendo produzidas em cultivos isolados, evitam a exploração, garantem o controle e a segurança alimentar e, ainda, tornam-se livres de contaminantes que estão presentes em nossos oceanos. No entanto, uma melhor alternativa para o consumo é o óleo de microalgas, que possui o ômega 3 puro e já isolado (EPA e DHA), pronto para o consumo humano e com uma absorção mais rápida pelo organismo. A ótima concentração, absorção e sustentabilidade, fazem com que o óleo de microalgas seja - sem dúvidas - a melhor alternativa 100% vegetal, capaz de suprir o consumo de ômega 3, em especial para os veganos.

Experimente o Ômega 3 de Algas EPA e DHA - 100 % vegetal

O que é acne?

O Ministério da Saúde caracteriza a acne como uma doença de pele que ocorre quando as glândulas secretoras de óleo, localizadas na derme, ficam inflamadas ou infectadas na base dos pelos. Isso gera o entupimento dos poros, formando os cravos, que podem romper posteriormente, liberando o material do interior da pele – o que gera as espinhas na superfície.

O que é acne?
Quais os principais tipos de acne?

Quais os principais tipos de acne?

Caracterizada por comedões, cistos, caroços e cicatrizes, a acne aparece com maior frequência onde o número de glândulas sebáceas é elevado, como no rosto, peito e costas. Saiba mais a seguir:

Acne não-inflamatória

  • Cravos brancos: glândulas sebáceas obstruídas, cujo o orifício está fechado;
  • cravos pretos: são escuros, pois as glândulas sebáceas obstruídas estão com o orifício aberto e foram expostas ao ar.

Acne inflamatória

  • Espinhas: também chamadas de pústulas, são glândulas sebáceas vermelhas inflamadas com a presença de pus;
  • cistos: “bolsas” de tecido, preenchidas por ar, pus e/ou outros fluidos corporais;
  • caroços: muitas espinhas inflamadas e inchadas que se juntam e drenam pus;
  • cicatrizes: tecidos fibrosos que substituem o tecido normal destruído pela lesão.

Como tratar as espinhas?

O médico dermatologista é o profissional capacitado para avaliar o grau de gravidade da acne. É ele também que indicará o tratamento mais adequado, podendo receitar medicamentos de uso local ou via oral. A prevenção e o controle da desordem tem como foco a limpeza da sujeira e óleo dos poros. Assim, é diminuído o surgimento dos cravos, que são os fatores primordiais para o desenvolvimento do resto. A alimentação também deve fazer parte do cuidado diário.

Como tratar as espinhas?
Alimentos que causam espinhas

Alimentos que causam espinhas

Agora que já sabe o que é acne, é importante entender que há evidências crescentes sobre a sua relação com a alimentação. Alterações no cardápio, evitando ou acrescentando determinados nutrientes e grupos alimentares, demonstram efeitos positivos para a sua prevenção e controle. No artigo científico “Acne e Dieta: Verdade ou Mito?”, os autores realizaram uma revisão com o objetivo de analisar se a dieta influencia direta ou indiretamente nos principais quatro pilares causadores da doença. Veja a seguir o que encontraram a respeito dos alimentos que causam acne:

Carboidratos de alto índice glicêmico

A acne é uma doença cutânea que afeta cerca de 79% a 95% da população adolescente do Ocidente. Um dos fatores responsáveis por isso é o tipo de dieta habitualmente consumida nesse hemisfério, que é rica em carboidratos de alto índice glicêmico. Uma das bases usadas para fazer essa afirmação foi a comparação com a alimentação de uma ilha localizada no Oriente. Nela, a prevalência de acne era nula e a ingestão desses macronutrientes, como tubérculos, frutas e legumes, era basicamente toda de baixo índice glicêmico. O consumo de carboidratos de alto índice glicêmico tem a capacidade de elevar as quantidades de insulina no sangue. Isso reflete na pele, incluindo o aumento da produção de sebo, resultando no surgimento de cravos e, predispondo, futuras espinhas. São exemplos de carboidratos de alto índice glicêmico que devem ser evitados em excesso porque são alimentos que causam acne:

  • processados e ultraprocessados no geral;
  • pão branco;
  • macarrão;
  • doces no geral;
  • refrigerantes;
  • sucos de caixinha;
  • achocolatados;
  • entre outros.
Carboidratos de alto índice glicêmico
Laticínios

Laticínios

Embora os laticínios apresentem baixo índice glicêmico, sendo uma exceção à primeira evidência apresentada, eles induzem o aumento de níveis de IGF-1 – um fator de crescimento semelhante à insulina. Por isso, também favorecem os quadros de acne. Além de promover o aumento de IGF-1, o leite, principalmente, contém quantidades relevantes de estrógeno, progesterona, precursores androgênicos, além de outras substâncias, que implicam no aparecimento de comedogênese. Tal associação foi apresentada com a inclusão de um estudo no qual foi avaliado o consumo do alimento em adolescentes. Essa relação foi positiva, com a provável hipótese de causa devido à presença de hormônios e moléculas bioativas do leite. Assim como os carboidratos de alto índice glicêmico, os laticínios também são escassos na alimentação dos povos Orientais, onde há baixa incidência de acne. A fim de prevenir e controlar os quadros, vale rever a alimentação, conferindo se há excesso de leite, queijo, iogurte, creme de leite e manteiga, por exemplo.

Qual o melhor remédio para acne?

Há diversas opções de remédios para espinhas que não causam agressão à pele, diferentemente de alguns tratamentos convencionais que utilizam ácidos ou outros produtos fortes. Acne é uma desordem de pele muito comum, capaz de afetar a autoestima de homens e mulheres. Por isso, tratamentos para espinhas precisam receber a devida atenção e cuidado.

Qual o melhor remédio para acne?
Remédio para espinha em cápsulas

Remédio para espinha em cápsulas

As evidências na relação entre alimentação e acne são crescentes. Sendo assim, alterações no cardápio, evitando ou adicionando determinados nutrientes e compostos bioativos, demonstram efeitos positivos para a sua prevenção e controle. Confira três exemplos logo abaixo:

Selênio

O selênio é um antioxidante que auxilia na proteção dos danos causados pelos radicais livres e no funcionamento do sistema imune. Além disso, um nível mais baixo de selênio foi encontrado em pacientes com acne, sugerindo que sua falta está relacionada com a predisposição das espinhas.

Zinco

Considerado um mineral essencial para que o corpo funcione de maneira eficiente, o zinco é importante para manter a imunidade em alta e, assim, ajudar na proteção de um grande número de doenças e desordens. Inclusive, ele vem sendo estudado e identificado como um remédio para espinhas. Um estudo controlado por placebo relatou que houve uma diminuição significativa no número de pápulas, pústulas e infiltrados nos grupos tratados com zinco. Como resultado, os pesquisadores observaram que, após 12 semanas de tratamento, a pontuação média da acne diminuiu de 100% para 15%.

Levedura de cerveja

Uma organização sem fins lucrativos da área de serviços médicos e de pesquisas médico-hospitalares, relatou que uma cepa específica da levedura de cerveja parece ajudar a diminuir a acne quando tomada por via oral. Por ter um sabor pronunciado, o levedo de cerveja, que normalmente é encontrado em pó ou em flocos para ser misturado com outros alimentos, também pode ser tomado em cápsulas.

Remédio para espinha de uso tópico

Ácidos, antibióticos e outros produtos de uso tópico para o tratamento convencional da acne são capazes de danificar a pele e oferecer efeitos colaterais adversos. Por sua vez, óleos naturais não. Veja exemplos:

Óleo de melaleuca

Também conhecido como tea-three oil, o óleo de melaleuca apresenta propriedades antissépticas e antibacterianas e pode ajudar a desinflamar espinhas. Isso se dá porque auxilia no combate aos processos inflamatórios das glândulas sebáceas. É possível aplicá-lo somente nas lesões ou em todo o rosto junto ao hidratante facial.

Óleo de babaçu

O óleo de babaçu tem origem vegetal e, devido seus incríveis benefícios para a saúde e aparência da pele, costuma ser utilizado em cosméticos de beleza. O ácido láurico, presente na composição, atua como inibidor do crescimento de microrganismos e, diante disso, oferece benefício ao tratamento de espinhas.

Óleo de coco

Embora apresente menos ácido láurico na composição quando comparado ao óleo de babaçu, o óleo de coco é mais fácil de ser encontrado. Ele é um ótimo remédio para espinhas inflamadas de uso tópico, pois ajuda a desinflamar e acalmar a pele. Ainda, possui ação emoliente que contribui com a maciez do órgão.

Remédio para espinha de uso tópico
Gostou das dicas sobre como evitar espinhas?

Gostou das dicas sobre como evitar espinhas?

Agora você já conhece diversos exemplos de remédios para acabar com espinhas. No entanto, não hesite em consultar com um dermatologista, caso esteja passando por uma situação dessas. Esse profissional de saúde, assim como um nutricionista, é capacitado para indicar o melhor tipo de tratamento para acne. O Evitacne da Ocean Drop contém selênio, zinco e levedura de cerveja.

Dúvidas frequentes sobre acne (espinhas)

Qual a diferença entre acne e espinha?

Na verdade, espinhas e acne representam a mesma patologia. No entanto, acne é o nome científico do problema, enquanto espinha é a linguagem mais popular.

Pode espremer espinhas?

Definitivamente, não. Isso pode representar um problema para sua pele, aumentando ainda mais a incidência de acne. Além disso, espremer espinhas pode fazer com que fiquem manchas e cicatrizes indesejáveis na sua pele.

Quais os alimentos que ajudam na prevenção da acne?

Além de alimentos ricos nos nutrientes já citados, como selênio e zinco, e a própria levedura de cerveja, estudos mostram que o uso de alimentos probióticos e ricos em ômega-3 podem ajudar a prevenir a acne.

Formulário de Avaliação

Nosso usuários não cansam de encher nossos corações de alegrias e não querem guardar isso pra sí mas gritar aos quatros cantos. É muito amor