Carregando...

Prisão de ventre na gravidez: causas, sintomas como tratar

A gravidez predispõe diversas alterações na vida da gestante, desde fisiológicas à comportamentais, as quais vêm acompanhadas de diversos sintomas. Uma das manifestações mais recorrentes é a prisão de ventre na gravidez, que pode levar a outros sintomas gastrointestinais, trazendo incômodo e interferindo negativamente na qualidade de vida.

Pela sua alta incidência, é importante saber identificar as causas, sintomas e possíveis meios para prevenir e de como melhorar a prisão de ventre na gravidez. Aqui neste artigo vamos falar sobre isso!

Prisão de ventre na gravidez: quando começa e quais as causas

O período de gestação vem acompanhado de muitas mudanças estruturais e hormonais no corpo da mulher, dentre elas, alterações na anatomia do trato gastrointestinal e na produção de hormônios sexuais, como estradiol e progesterona. Devido à expansão do útero para o crescimento do bebê, além do aumento do hormônio progesterona e redução do hormônio motilina para a manutenção da gravidez, há um comprometimento da motilidade intestinal. 

Em outras palavras, os movimentos que o intestino faz para a expulsão das fezes reduz significativamente na gestação, causando a prisão de ventre na gravidez. Ademais, mudanças comportamentais durante este período também podem contribuir para a prisão de ventre na gravidez, como a redução da ingestão hídrica e do consumo de alimentos. Essa redução é comumente causada pelo enjoo ou azia, além da redução da atividade física diária.

Portanto, de forma geral, a prisão de ventre na gravidez é algo comum desde o início da gestação, devido às mudanças esperadas deste período. É importante ressaltar, no entanto, que são raros os casos em que a prisão de ventre na gradivez é perigosa.

Sintomas de prisão de ventre na gravidez

Apesar de comum, a prisão de ventre na gravidez pode se tornar bastante incômoda e levar ao desenvolvimento de alguns sintomas, que podem incluir:

  • cólicas e desconforto abdominal;
  • rigidez e inchaço na região do abdômen;
  • alterações de humor como irritabilidade.

Além desses sintomas, a prisão de ventre na gradivez pode causar problemas secundários como hemorróidas e outras complicações gastrointestinais como náuseas e azia. Caso esses sintomas sejam muito intensos, é recomendado procurar auxílio de um profissional da saúde para avaliar o quadro da gestante e para que ele possa indicar o que tomar para prisão de ventre na gravidez.

É possível prevenir a prisão de ventre na gravidez?

A prisão de ventre na gravidez não é grave, porém provoca uma série de efeitos indesejados que reduzem a qualidade de vida da gestante. Por se tratar de uma consequência de alterações fisiológicas e hormonais normais, até certo ponto não há como evitá-la. Porém, é possível prevenir quadros muito intensos de constipação por meio de hábitos diários para amenizar a prisão de ventre na gravidez.

De acordo com estudos, muitas mulheres relataram melhoras significativas da prisão de ventre na gravidez após o aumento do consumo de fibras alimentares em combinação com a ingestão de água adequada e exercícios físicos diários.  Outro estudo também apontou melhora na prisão de ventre na gradivez de mulheres que utilizaram suplemento de fibras, sendo que estas tiveram aumento na frequência de evacuações em comparação àquelas que não utilizaram a suplementação.

Portanto, estudos indicam que o uso de fibras dietéticas através de alimentos ou suplementos, associados a um consumo alimentar de qualidade, ingestão hídrica adequada e prática de exercícios físicos regulares, pode ser eficiente na prevenção e também em como melhorar a prisão de ventre na gravidez, diminuindo assim o desconforto da gestante.

Aproveite e veja também

Como melhorar a prisão de ventre na gravidez

Uma vez que a gestante esteja tomando as medidas preventivas contra a prisão de ventre, mas ainda assim, devido às condições da gestação, ela esteja em um quadro de constipação, podem surgir algumas dúvidas do que é bom para a prisão de ventre na gravidez.

Para tais casos, as intervenções farmacológicas podem ser consideradas quando as modificações no estilo de vida e na alimentação não forem suficientes. Daí entram os laxantes, como laxantes osmóticos, laxantes lubrificantes, laxantes estimulantes, entre outras categorias. Porém, é muito importante que o uso de fármacos seja sempre indicado pelo médico! Qualquer medicamento possui efeitos colaterais e isso pode colocar a gestação em risco. 

Além do acompanhamento de um médico obstetra, contar também com um nutricionista durante a gestação pode ser importante para evitar a constipação. Com as devidas precauções, é possível controlar a prisão de ventre durante a gravidez e garantir uma gestação saudável e tranquila para a mãe e bebê. 

Referências

Você ganhou um super presente!

Olá, tudo bem? Seja bem-vindo(a) ao nosso oceano de superalimentos.

Você recebeu o convite de um amigo(a) para nutrir o seu corpo com os melhores ativos dos oceanos e da Terra.

Por isso, você ganhou R$50,00 de desconto no seu primeiro pedido.

Basta escolher os seus produtos e ver o seu desconto na etapa de pagamento. Qualquer dúvida fale com a nossa equipe através do chat.