Carregando...

Quercetina: conheça 9 benefícios para a saúde

A quercetina, um flavonoide presente em diversos alimentos, como cebola, maçã e chá-verde, tem despertado crescente interesse devido aos seus potenciais benefícios para a saúde. 

Reconhecida por suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, a quercetina tem sido objeto de estudos científicos que investigam seu papel na prevenção e tratamento de uma variedade de condições médicas. 

Neste texto,, exploraremos em detalhes o que é a quercetina, seus possíveis efeitos benéficos, formas de consumo e precauções associadas ao seu uso, proporcionando uma visão abrangente deste importante composto bioativo.

O que é e para que serve a quercetina?

Afinal, o que é e para que serve a quercetina exatamente? Primeiro de tudo, você deve entender que ela é um composto flavonoide polifenólico encontrado naturalmente na natureza e amplamente reconhecida por seus diversos benefícios à saúde. 

Seu potencial poder antioxidante e anti-inflamatório atua no combate aos radicais livres no organismo, ajudando a proteger as células e o DNA, e no fortalecimento do sistema imunológico. Não sendo produzida pelo corpo humano, a quercetina é obtida exclusivamente através da dieta ou suplementação.

Encontrada em alimentos, como maçã, acerola, trigo sarraceno e pimentão, a quercetina tem sido reconhecida por desempenhar um papel fundamental na prevenção de diversas condições, incluindo pressão alta e diabetes. Estudos sugerem que ela também pode ser benéfica no combate à obesidade, na proteção do sistema nervoso e, até mesmo, na inibição de tumores. 

Além disso, há evidências de que a quercetina pode contribuir para a redução do risco de doenças cardiovasculares, destacando seu potencial impacto positivo na saúde humana.

Os suplementos de quercetina geralmente estão disponíveis em lojas de produtos naturais e farmácias e, muitas vezes, vêm combinados com outros nutrientes, como zinco e vitamina C.

Benefícios da quercetina

A quercetina apresenta uma ampla gama de propriedades farmacológicas que oferecem potenciais benefícios à saúde, de acordo com a ciência:

1. Ação antioxidante

A quercetina é reconhecida por sua potente capacidade antioxidante, que ajuda a neutralizar os danos causados pelos radicais livres, prevenindo o envelhecimento precoce e reduzindo o risco de doenças relacionadas ao estresse oxidativo.

2. Efeitos anti-inflamatórios

De acordo com os estudos, a quercetina apresenta diversas atividades anti-inflamatórias que contribuem para sua eficácia na redução da inflamação. Em nível celular, ela inibe a atividade de enzimas, como ciclooxigenase e lipoxigenase, conhecidas por desencadear processos inflamatórios. Além disso, a quercetina suprime a atividade de importantes vias de sinalização envolvidas na inflamação, como NF-κB e AP-1, e reduz a produção de citocinas pró-inflamatórias, como TNF-α, IL-6 e IL-1β.

Todos os mecanismos relacionados à redução da inflamação pela quercetina resultam na diminuição da expressão de proteínas inflamatórias, como a COX-2, e na inibição da produção de mediadores pró-inflamatórios, como o óxido nítrico. 

Além disso, a quercetina demonstra afinidade por basófilos e mastócitos, células-chave na resposta inflamatória, estabilizando suas membranas e impedindo a liberação de mediadores inflamatórios e alérgicos.

Diversos resultados científicos sugerem que a quercetina exerce seus efeitos anti-inflamatórios por meio de múltiplos mecanismos, o que a torna uma molécula promissora no combate à inflamação e suas consequências negativas para a saúde.

 3. Tratamento da diabetes 

A quercetina parece exercer diversos efeitos benéficos que contribuem para sua eficácia no tratamento do diabetes mellitus tipo 2. Suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias ajudam a reduzir o estresse oxidativo e a inflamação associados à patologia, protegendo as células beta pancreáticas e preservando sua função, segundo os estudos. 

Além disso, a quercetina já demonstrou reduzir os níveis de glicose no sangue, tanto em modelos animais quanto em humanos, por meio da captação de glicose pelo tecido muscular e pela inibição da produção hepática de glicose.

4. Controle da obesidade

Estudos indicam que a quercetina pode desempenhar um papel relevante no controle da obesidade, reduzindo tanto a gordura corporal quanto o índice de massa corporal (IMC), possivelmente por meio da supressão da adipogênese e regulação de proteínas quinases.

Um estudo conduzido por Ji Sook Lee et al. investigou o efeito da suplementação com extrato de casca de cebola rico em quercetina na composição corporal de indivíduos com sobrepeso e obesidade. 

Realizado de forma randomizada, duplo-cega e controlada por placebo, o estudo envolveu indivíduos coreanos com sobrepeso e obesidade, divididos em dois grupos: um grupo que recebeu placebo e outro que recebeu cápsulas contendo 100 mg de quercetina. Após 12 semanas de suplementação, os pesquisadores observaram uma redução significativa no peso e na porcentagem de gordura corporal medida por DEXA no grupo que recebeu quercetina.

5. Proteção cardiovascular

A quercetina parece desempenhar um papel significativo na redução do risco cardiovascular devido aos seus efeitos benéficos sobre vários fatores de risco. Em um estudo comparativo com placebo, observou-se que a ingestão de quercetina resultou em uma diminuição significativa na pressão arterial sistólica, um dos principais indicadores de saúde cardiovascular.

O estudo também observou uma redução significativa nos níveis séricos de fator de necrose tumoral-α (TNF-α) e interleucina-6 (IL-6), ambos associados à inflamação e à progressão de doenças cardiovasculares. 

Embora as mudanças nos níveis de colesterol de lipoproteína de alta densidade (HDL-C) não tenham sido significativas, a quercetina demonstrou um impacto positivo na redução desses marcadores inflamatórios, indicando seu potencial na proteção contra condições cardiovasculares.

Esses achados sugerem que a quercetina pode exercer efeitos favoráveis na saúde do coração, ajudando a melhorar a pressão arterial e a reduzir a inflamação, o que pode contribuir para a redução do risco cardiovascular.

6. Potencial anticâncer

A quercetina, um flavonoide presente em várias fontes alimentares, tem sido objeto de estudo devido às suas propriedades multifacetadas, incluindo potenciais propriedades anticâncer. Seu potencial anticancerígeno tem sido explorado tanto na prevenção quanto no tratamento de cânceres, como os de pulmão, próstata, fígado, mama, cólon e colo do útero. 

Múltiplos mecanismos foram propostos para suas propriedades anticancerígenas, envolvendo regulação de vias de sinalização celular e atividades enzimáticas que inibem agentes cancerígenos.

A quercetina parece atuar modulando a produção de espécies reativas de oxigênio, as quais desempenham um papel crucial na tumorigênese. 

Ela regula as vias de sinalização envolvidas na proliferação celular e apoptose, como a proteína quinase C, bem como aumenta a expressão de genes supressores de tumores, como o p53 e BAX. Além disso, a quercetina modula marcadores de estresse oxidativo e enzimas antioxidantes, contribuindo para a prevenção do câncer e reduzindo o risco de desenvolvimento de tumores.

7. Função neuroprotetora

A quercetina pode exercer efeitos positivos sobre o sistema nervoso central, atuando na redução do processo neuroinflamatório, estimulando a regeneração de neurônios e prevenindo o dano oxidativo, o que pode ser benéfico em condições como Alzheimer.

8. Efeito antidepressivo

A depressão é uma condição mental prevalente que pode afetar negativamente tanto a saúde física quanto a mental. O estresse crônico tem sido associado ao desenvolvimento da depressão e da ansiedade. 

Estudos têm demonstrado que o tratamento com quercetina pode reduzir significativamente o estresse oxidativo e inflamatório, além de prevenir danos neurais, regulando marcadores de estresse oxidativo, como TBARS e óxido nítrico, e aumentando os níveis de antioxidantes, como tiol total e catalase, enquanto reduz as citocinas pró-inflamatórias no hipocampo.

9. Ação contra a COVID-19

Além desses benefícios, estudos preliminares sugerem que a quercetina pode também complementar o tratamento da COVID-19 devido à sua ação antiviral. No entanto, mais pesquisas são necessárias para confirmar esse potencial uso.

Em resumo, a quercetina é um nutriente multifuncional com uma variedade de benefícios para a saúde, incluindo ação antioxidante, anti-inflamatória, proteção cardiovascular, potencial anticâncer e função neuroprotetora, tornando-se uma adição valiosa à dieta e à suplementação.

Onde encontrar?

A quercetina, um flavonoide essencial para a saúde, pode ser encontrada tanto em alimentos quanto em suplementos dietéticos, oferecendo uma variedade de opções para incorporá-la à dieta.

Quercetina em alimentos

A quercetina está presente em uma ampla variedade de alimentos, especialmente em frutas e vegetais. Alguns dos alimentos mais ricos em quercetina incluem:

  • cebolas;
  • vinho;
  • maçãs;
  • uvas;
  • frutas vermelhas;
  • aspargos;
  • ginkgo biloba;
  • couve;
  • chás;
  • brócolis.

Suplementos de quercetina

Nos últimos anos, os suplementos dietéticos de quercetina têm se tornado uma escolha popular para muitas pessoas que buscam garantir uma ingestão adequada desse flavonoide. Esses suplementos oferecem uma maneira conveniente de obter os benefícios da quercetina em doses concentradas, sendo facilmente absorvidos pelo organismo. Mas como tomar? Siga lendo.

Aproveite e veja também

Efeitos adversos e contraindicações da quercetina

É importante estar ciente das precauções e possíveis efeitos colaterais associados ao consumo de quercetina, especialmente ao utilizar suplementos dietéticos. Aqui estão algumas orientações a serem consideradas:

Possíveis efeitos colaterais

Os principais efeitos colaterais relatados com o uso de suplementos de quercetina incluem dor de cabeça e desconforto estomacal. Além disso, algumas pessoas podem experimentar reações alérgicas, manifestadas por sintomas, como vermelhidão, coceira ou erupções cutâneas.

Contraindicações

  • Crianças não devem utilizar suplementos de quercetina, pois a segurança e eficácia desses produtos em crianças ainda não foram estabelecidas;
  • mulheres grávidas ou lactantes devem evitar o consumo de quercetina, uma vez que não há evidências suficientes sobre sua segurança nessas condições;
  • indivíduos com problemas renais devem evitar o uso de suplementos de quercetina, pois pode haver preocupações com a excreção renal do composto;
  • pessoas que estão tomando medicamentos para controle da pressão arterial, diabetes, antibióticos, corticosteroides ou anticoagulantes devem consultar um médico antes de iniciar o uso de quercetina, pois pode haver interações medicamentosas potenciais.

Onde comprar quercetina?

Para adquirir quercetina, uma variedade de opções está disponível, incluindo farmácias, drogarias, lojas de produtos naturais, plataformas de comércio online como Amazon e Mercado Livre, além dos sites dos próprios fabricantes.

É essencial verificar a reputação do vendedor, ler os rótulos dos produtos para entender os ingredientes e dosagens, e se necessário, buscar orientação profissional para garantir uma compra segura e eficaz.

Conteúdo escrito pela nutricionista Suelen Santos da Costa, CRN10 7816. Suelen é graduada pela Universidade Federal de Pelotas e possui Pós-Graduação em Nutrição Clínica Funcional pela VP Centro de Nutrição Funcional.

Você ganhou um super presente!

Olá, tudo bem? Seja bem-vindo(a) ao nosso oceano de superalimentos.

Você recebeu o convite de um amigo(a) para nutrir o seu corpo com os melhores ativos dos oceanos e da Terra.

Por isso, você ganhou R$50,00 de desconto no seu primeiro pedido.

Basta escolher os seus produtos e ver o seu desconto na etapa de pagamento. Qualquer dúvida fale com a nossa equipe através do chat.